Simbologia e cuidados de conservação

A lavagem ou limpeza, são operações que visam devolver à roupa o seu aspecto e textura originais.
Nunca se deve proceder à lavagem de uma peça de roupa, seja ela do lar ou de vestuário, sem se conhecer a origem dos têxteis.

Lavagem

  • Lavagem à mão ou à máquinaLavagem à mão ou à máquina
  • Lavagem não permitidaLavagem não permitida

Os Uniformes devem ser sacudidos e abertos, antes de serem introduzidos na máquina.
Todos os uniformes devem ser lavados do avesso.
Devem verificar-se e esvaziar-se os bolsos antes da lavagem, assim como fechar os fechos de correr.

É muito importante não sobrecarregar a máquina, a roupa com espaço para se mover ficará melhor lavada. O carregamento da máquina varia segundo o tipo de fibra, o volume do tambor e ainda segundo o estado de sujidade da roupa.

É nesta fase que os uniformes devem ser cuidadosamente verificados, para ver se têm nódoas, que deverão ser removidas antes da lavagem geral, pois a água quente ou detergente podem fixar a nódoa, "cozendo-a" e tornando impossível a sua remoção.

Os uniformes mais delicados devem ser lavados dentro de um saco de rede.

Logo após a lavagem os uniformes devem ser retirados da máquina, para não se desenvolverem fungos que provocam maus cheiros e para não ficarem muito vincados, o que dificulta a passagem a ferro ou a dobragem.

Lavagem à máquina

  • Programa normal a 30ºC.Programa normal a 30ºC.
  • Programa delicado a 30ºC.Programa delicado a 30ºC.
  • Programa normal a 40ºC. Centrifugação normalPrograma normal a 40ºC. Centrifugação normal
  • Programa moderado a 40ºC. Centrifugação reduzidaPrograma moderado a 40ºC. Centrifugação reduzida
  • Programa muito moderado a 40ºC. Centrifugação normal.Programa muito moderado a 40ºC. Centrifugação normal.
  • Programa normal a 60ºC. Centrifugação normal.Programa normal a 60ºC. Centrifugação normal.
  • Programa moderado a 60ºC. Centrifugação reduzida.Programa moderado a 60ºC. Centrifugação reduzida.
  • programa normal a 95ºC. Centrifugação normal.programa normal a 95ºC. Centrifugação normal.
  • Programa moderado a 95ºC. Centrifugação reduzida.Programa moderado a 95ºC. Centrifugação reduzida.

A temperatura da água é muito importante, pois há certas reacções químicas que só se produzem com uma determinada temperatura, assim como a eficiência dos detergentes.
No entanto, há certas fibras que podem ser deterioradas pelo calor da água.

A água pode parecer um componente trivial, contudo é a condição mais importante da lavagem. As propriedades de uma determinada água têm grande influência nos resultados da lavagem.

A dureza da água é uma propriedade que implica directamente na lavagem da roupa. Esta característica indica a concentração de sais de cálcio e magnésio dissolvidos, que se encontram na água.
Uma água que tem em solução um teor elevado de sais de cálcio e magnésio tem uma dureza elevada e portanto é uma água DURA. Uma água MACIA é o contrário, ou seja, contém poucos ou até nenhuns sais de cálcio e magnésio dissolvidos.

A água macia lava melhor que a dura, embora enxague com mais dificuldade.

Quando a água é dura, a roupa torna-se acizentada, com mau odor e há dificuldade na penetração da água, fazendo por isso, gastar mais detergente e consequente aspereza da peça e dificultade em engomar.

Lavagem à mão

  • Lavagem à mão, temperatura máxima 40ºC.Lavagem à mão, temperatura máxima 40ºC.

 

Secagem

  • Pode colocar-se na máquina de secar.Pode colocar-se na máquina de secar.
  • Não colocar na máquina de secar.Não colocar na máquina de secar.
  • Permitido secar em máquina depois da lavagem sem restrições de temperatura.Permitido secar em máquina depois da lavagem sem restrições de temperatura.
  • Permitido secar em máquina depois da lavagem a uma temperatura moderada.Permitido secar em máquina depois da lavagem a uma temperatura moderada.
  • Pendurar sem torcerPendurar sem torcer
  • Secar na horizontal sem estenderSecar na horizontal sem estender
  • Secar peça sobre a cordaSecar peça sobre a corda

Para uma correcta secagem das peças, sem as deformar e aumentar o seu tempo de vida útil e em bom estado, deve ter-se em atenção a temperatura de secagem pois o calor destrói as fibras.
A máquina deve ser bem arejada para evitar acumulação de poeiras nos filtros dificultando a entrada e saída de ar e consequente má secagem da roupa, aumento do tempo de secagem, etc.

Não se deve misturar roupa de texturas diferentes, pois até secar a mais grossa, a mais fina ficará excessivamente seca, o que dificultará a passagem a ferro e dobragem.
O mesmo acontece com as cores, pois até secarem, as peças de roupa debotarão entre si.

Lixívia e Branqueadores

  • Pode usar lixívia ou branqueadores com cloroPode usar lixívia ou branqueadores com cloro
  • Proibida a utilização de lixívia ou branqueadoresProibida a utilização de lixívia ou branqueadores

A passagem com lixívia é uma operação de branqueamento, muito comum para remover algumas nódoas e clarear a peça.
A lixívia é um agente de branqueamento que se deve utilizar correctamente, sob pena de deterioração grave e definitiva da fibra.
Com o tempo o cloro contido na lixívia tem tendência a amarelar a peça, não removendo a sujidade, dando-lhe um mau aspecto e até mesmo queimar a fibra o que faz com que esta se rasgue.

Em substituição da lixívia, deve-se utilizar branqueadores oxigenados, que são eficazes e não tão agressivos para a peça.
Devem ser aplicados conforme instruções descritas na embalagem e antes do processo normal de lavagem.

 

Limpeza a Seco

  • Limpeza a seco proibidaLimpeza a seco proibida
  • Limpeza a seco com essências mineraisLimpeza a seco com essências minerais
  • Limpeza com todos os dissolventes correntesLimpeza com todos os dissolventes correntes
  • Limpeza com essências minerais, policloetileno e dissolventes fluoradosLimpeza com essências minerais, policloetileno e dissolventes fluorados
  • Certas restrições ao processo de limpeza a seco no que respeita à solicitações mecânicas, e/ou temperatura, e/ou adição de água ao solvente Certas restrições ao processo de limpeza a seco no que respeita à solicitações mecânicas, e/ou temperatura, e/ou adição de água ao solvente
  • Certas restrições ao processo de limpeza a seco Certas restrições ao processo de limpeza a seco

Engomar

  • Não passar a ferroNão passar a ferro
  • Temperatura baixa: 110ºCTemperatura baixa: 110ºC
  • Temperatura média:150ºCTemperatura média:150ºC
  • Temperatura alta: 200ºCTemperatura alta: 200ºC

A qualidade final de uma passagem a ferro depende de vários factores entre os quais: Humidade da peça, Temperatura do ferro, Pressão exercida, Número de passagens.

Ao passar a ferro, a roupa deve estar ligeiramente húmida. Demasiado seca dificulta a sua passagem, obrigado a um maior número de passagens do ferro, mais temperatura e consequente dano na peça.

É muito importante controlar-se a temperatura do ferro, pois esta deve ser em função dos tecidos que vão ser passados.
Temperaturas do ferro muito altas têm tendência a queimar as fibras, dando-lhe brilhos. Estes brilhos são as fibras queimadas, que com o tempo se vão partindo e a peça rasga-se.

Para evitar estes brilhos, designados de lustro, deve utilizar-se uma base no ferro, pois minimiza a temperatura de contacto.

As tábuas de engomar devem estar forradas com pano apropriado, que mantenha o calor do ferro e que facilite a passagem da roupa, bem como contribuam, quando necessário, através de aspiração para o devido arrefecimento da peça.

Nos ferros a vapor, a água a utilizar deverá ser destilada para evitar que o interior do ferro se danifique e também que não ganhe depósitos e sujidade, que poderão passar para os uniformes.

Conselhos para Lavagem

info

Normas Básicas Não deixe que a roupa fique demasiado suja.
Não guarde a roupa húmida.
Separe adequadamente a roupa, de acordo com os símbolos de conservação.